Autor: Erasmo Simão da Silva

Coautores: André E. Estenssoro, Calógero Presti, Cid Sitrângulo Jr., Gisela Tinone, Ivan Casella, José Augusto Monteiro, Walter Campos Jr., Nelson de Luccia, Pedro Puech-Leão.

Instituição: Serviço de Cirurgia Vascular e Endovascular do HCFMUSP

Resumo

Apesar de grandes estudos multicêntricos e randomizados de alta qualidade, o debate sobre o tratamento dos pacientes assintomáticos com estenose carotídea severa persiste. O ACST 2 é um estudo multicêntrico e randomizado que seleciona pacientes com estenose carotídea maior que 70% para tratamento por endarterectomia ou angioplastia stent, quando considera-se uma intervenção e do ponto de vista clínico e anatômico o paciente pode ser submetido aos dois procedimentos.

O estudo é conduzido e supervisionado pela Universidade de Oxford e conta com 32 países e 88 centros participantes no mundo. A interação com neurologista é obrigatória na análise dos eventos pós-intervenção.

Os resultados iniciais publicados em 2013 revelam incidência de AVC maior (2 óbitos + 4 com grave sequela) e AVC menor de 2.9% e IAM (1 fatal + 3 não fatais) de 0.6% em 691 pacientes. Perfazendo um quadro de AVC maior e óbito de 1% em 30 dias.

Conclusão: Neste momento já foram randomizados 2100 pacientes e a meta é de 3600 com previsão para terminar em 2019. A participação em um estudo, desta proporção, permite a possibilidade de interação estreita com a divisão de neurologia do serviço, com reconhecimento de maior número de eventos e aprimoramento no entendimento dos resultados destes procedimentos. A interação com serviços mundiais estimula a busca de excelência local.

Comentador: Dr. Bonno van Bellen

Article Image Page Break Read More