AVALIAÇÃO DOS PACIENTES SUBMETIDOS À RESSIMPATECTOMIA PARA TRATAMENTO DE HIPERIDROSE ESSENCIAL

Autores: Lucas Lembrança, Nelson Wolosker, José Ribas Milanez de Campos, Paulo Kauffman, Marcelo Passos Teivelis e Pedro Puech-Leão

Instituição: Hospital Israelita Albert Einstein / Faculdade de Medicina – Universidade de São Paulo

Introdução: O tratamento cirúrgico preconizado para Hiperidrose Essencial é a Simpatectomia Videotoracoscópica (VATS). Contudo, parte dos pacientes não respondem satisfatoriamente a VATS e são submetidos à ressimpatectomia. Não existem estudos avaliando de maneira objetiva o grau de resposta à cirurgia e à melhora da qualidade de vida nos pacientes reoperados.

Casuística e Métodos: Trata-se de um estudo retrospectivo, no qual, em um grupo total de 2300 pacientes submetidos à simpatectomia para tratamento de HE, de 1999 até janeiro de 2014, foram avaliados 15 pacientes submetidos à ressimpatectomia por falha do tratamento primário. Dos pacientes analisados, 11 (73,3%) eram mulheres. A média de idade foi de 23,29 (5,17) anos e média de Índice de Massa Corpórea (IMC) de 20,92 (2,12). O sítio principal das queixas foram as mãos, em 10 (66%) pacientes, e axilas, em cinco (33%). Para essa análise de qualidade de vida foi utilizado o questionário de Amir e Cols. Para a análise da resposta ao tratamento, pontuou-se melhora após 15 dias da cirurgia, quantificando de 0 (ausência de melhora) a 10 (melhora completa), e, posteriormente, estratificando em discreta (0-4), moderada (5-7) e grande(8-10).

Resultados: Antes da realização da primeira cirurgia, todos os pacientes apresentavam qualidade de vida ruim ou muito ruim. Após primeira VATS, 12 (80%) pacientes obtiveram boa resposta, porém evoluíram com piora, voltando aos níveis anteriores à cirurgia. Sendo assim, antes da ressimpatectomia, todos os pacientes tinham qualidade de vida muito ruim. Nas ressimpatectomias, a ressecção bilateral foi realizada em 73% dos casos, sendo o nível mais frequente a quarta cadeia ganglionar. Manteve-se o predomínio do uso do eletrocautério em 80% dos casos e foi utilizada intubação seletiva em 73% da amostra. O grau de resposta ao tratamento foi elevado em 73% da amostra, com 14 (93,3%) pacientes apresentando uma melhora da qualidade de vida considerada muito boa após o procedimento.

Conclusão: A VATS é um procedimento efetivo nos pacientes que necessitam de ressimpatectomia para o tratamento de Hiperidrose Essencial.

Comentador: Dr. Guilherme Yazbek